http://www.cinemista.com.br/wp-content/uploads/2013/05/Frank-e-o-Robô.jpg

Frank e o RobA? – Cinecult

frank e o robA?

AdmirA?vel Mundo Novo? Sim!

Frank e o RobA? se passa num futuro prA?ximo onde em nossa realidade cotidiana convivemos ao lado de robA?s com um elevado poder de interaA�A?o com humanos. O ator Frank Langella A� Frank, um velho genioso e solitA?rio cujos filhos estA?o distantes e pensando em internA?-lo, jA? que, o pai devido a idade encontra dificuldade em viver sozinho. Como A?ltima tentativa antes da internaA�A?o Hunter seu filho lhe presenteia com um robA? para auxilia-lo nas mais diversas tarefas e assim cuidar de sua saA?de.

Observamos o mal estar do personagem com aquela geringonA�a a lhe perseguir, juntando ao fato da biblioteca que ele frequenta assiduamente estar passando por um processo de modernizaA�A?o. LA? tambA�m um robA? vai substituir Jennifer (Susan Sarandon) no atendimento aos clientes. Tudo isso parece a introduA�A?o de um discurso puritano e ingA?nuo, neste ponto o filme de Jake Schreier parece caminhar para o lugar comum, clichA?s condenando a tecnologia que atropela as coisas simples da vida etc, etc. No entanto, esse contexto; a�?confrontosa�? de novo e velho, tecnolA?gico e tradicional que o longa vai mostrar A� apenas um pretexto para a histA?ria que realmente interessa; a improvA?vel amizade entre Frank e o RobA?.

A�Frank e o RobA?

A� nesse momento que a a�?revira-voltaa�? acontece. Pois aqui hA? outra proposta de discussA?o: QuA?o aptos, quA?o dispostos estA?o os homens para conviver e se doar um pelos outros? Dessa forma o longa volta a despertar interesse pois a crA�tica (se A� que hA? uma) nA?o A� direcionada A�s mA?quinas ou A� tecnologia que distancia as pessoas e sim para as prA?prias pessoas que se deixam afastar por a�?na�? motivos.

Em seu filme de estrA�ia como diretor, Jake Schreier mostra-se bastante a vontade a frente de estrelas como Susan Sarandon e Liv Tyler, que aqui nA?o passam de coadjuvantes. O diretor mantA�m cada um no seu respectivo lugar sem alongar determinado papel somente pelo fato de um grande nome estar por trA?s dele. O grande nome no longa A� o de Frank Lagella, que neste projeto bem menor volta a ter grande atuaA�A?o aja vista seu A?timo trabalho em Frost/Nixon (2008). Frank percorre com naturalidade as contradiA�A�es de seu personagem glutA?o, ignorante e esperto, o popular a�?come quietoa�? que atA� entA?o nA?o se interessava por mais nada ao seu redor.

A�

Por fim, atuaA�A�es, direA�A?o, temas e discussA�es jA? citadas no parA?grafo acima sA?o tratadas sem grandes enfeites ou disfarces. Longe tambA�m dos clichA?s que outrora se temia. Boa dose de humor e drama numa mesma receita que aliA?s tirando robA?s quase humanos, A� a mesma receita de cada um dos nossos dias…

LanA�ado em 2012, a�?Frank e o RobA?a�? foi premiado com o trofA�u Alfred P. Sloan no Sundance Filme Festival 2012.




Comentários

  1. Muito bom. Valeu pelo comentário/indicação!

})(jQuery);