http://www.cinemista.com.br/wp-content/uploads/2014/09/HERCULES_CAPA-1050x434.jpg

Hércules – Crítica

hercules_cartaz

★★★☆☆

Pedro Cardoso é convidado do Videogame Mais

 

O personagem da mitologia grega mais explorado pela cultura pop ganhou mais uma versão com o Dwayne Johnson, o famoso The Rock. Hércules ganha vida no cinema novamente pelas mãos de Brett Ratner, que você deve lembrar pelo péssimo X-Men: O Confronto Final, mesmo que ele não tenha total culpa nisso.

“Nem melhor, nem pior, apenas uma escola diferente”, essa frase se refere a escola de samba Salgueiro, aqui do Rio de Janeiro, e foi dita pelo seu então presidente, Nelson Andrade. Mas também pode ser usada para definir o resultado deste filme.

Hércules de The Rock

O filme põe em xeque os 12 trabalhos de Hércules e diminui os seus poderes e grandes feitos, ainda que ele seja um cara muito forte e conhecido pelo seu heroísmo. Não é dito de forma explícita, mas fica subentendido que todas essas grandes realizações não passam de lendas, coisas que o povo conta por aí. “Quem conta um conto aumenta um ponto”.

Não sei se alguém vai reagir com raiva com essa nova “roupagem” do semi-deus, mas achei interessante trazerem para as telas um Hércules mais humano e menos deus, mais pés no chão. Até mesmo o fato dele ser filho de Zeus é posto em dúvida. Aliás, a própria mitologia grega é deixada de lado. Os mitos existem, os deuses são citados, mas vários dos monstros conhecidos acabam sendo explicados de forma lógica no filme.

Hércules de The Rock

Em resumo, o filme trata da descoberta do herói. Nesta nova interpretação do mito, Hércules é um mercenário, que presta seus serviços para qualquer rei que pagar uma boa quantia em ouro. Como ele tem o seu poder diminuído, “carrega” consigo uma trupe de destemidos guerreiros para ajudá-lo, cada um com características próprias.

Apesar de não explorarem muito o passado dos personagens que acompanham o Hércules em suas aventuras, com rápidos diálogos o espectador consegue perceber a personalidade de cada um. Todos, sem exceção, têm o seu grau de importância e ninguém fica à sombra do protagonista.

Hércules de The Rock

Esse trabalho bem feito na construção dos personagens, não se repete quando o filme explora a relação de Hércules com sua família. A forma como ele perdeu sua esposa e filhos é algo que vai atormentá-lo durante toda a película, e mesmo sendo algo tão transformador na personalidade do herói, é colocado para o público de forma jogada, em flashbacks rápidos e sem contexto. Não fique irritado, pois este parágrafo que você acabou de ler não é nenhum spoiler, pois o Hércules já começa o filme sem seus entes queridos.

Hercules-04

Hércules é um divertido filme pipocão com ótimas cenas de ação e um ritmo que te prende do início ao fim. Você não sente o tempo passar. A história é simples e tem um bom ponto de virada. Cenários bonitos e efeitos visuais competentes ajudam a compor o ambiente para contar a história de um herói se descobrindo como tal. De pecado, ficou apenas a última sequência, na sua ideia e execução. Sem revelar nada, mas fiquei com a sensação de que poderiam ter feito diferente.




})(jQuery);