http://www.cinemista.com.br/wp-content/uploads/2014/02/mato-sem-cachorro-destaque-1050x826.jpg

Mato Sem Cachorro – Cinecult

mato-sem-cachorro-cartaz

Seria errado dizer que o fato de um filme brasileiro ter muitos a�?atoresa�? brasileiros o torna menor? Seria entA?o tambA�m errado afirmar que uma qualidade desse mesmo filme A� ele nA?o parecer com os demais filmes nacionais?

Pois Mato Sem Cachorro do diretor Pedro Amorim mostra que tais afirmaA�A�es a�?bestiaisa�? podem sim ter certa razA?o. Mostra uma tendA?ncia triste no cinema nacional de nA?o levar a sA�rio o gA?nero comA�dia que A� produzido por aqui. A� como se o bom humor e clima descontraA�do transmitido nas telonas desse espaA�o fosse permissA?o para que um monte de celebridades faA�a parte do projeto. Uma pontinha aqui, outra apariA�A?o ali, sempre descabidas de propA?sito para a trama, no entanto, nem tudo A� colocado a perder no bom a�?Mato Sem Cachorroa�?, mas dA? uma quebrado no ritmo interessante que a produA�A?o alcanA�a em alguns momentos.

Mato Sem Cachorro

Em contra partida a incorporaA�A?o de alguns clichA?s de comA�dias norte-americanas por exemplo, difere a�?Mato Sem Cachorroa�? das demais produA�A�es nacionais que nA?o consegue sair do lugar comum, da piada pronta, pastelA?o pobre ou presunA�oso por demais. O longa de estrA�ia do diretor Pedro Amorim, com roteiro de AndrA� Pereira parece feito unicamente para divertir e acerta na dose que nA?o faz misturas intelectuais, polA�ticas ou mesmo cinematogrA?ficas.

Bruno Gagliasso A� Deco, um nerd, desmotivado e perdido em meio a bagunA�a do quarto de onde praticamente nA?o sai. AtA� que acidentalmente enquanto socorre o primo Leleo (Danilo Gentile) de um incidente com uma flecha na perna, cruza o caminho de Guto, um filhote de Border Collie quase atropelado por ele. Diante desse outro acidente surge ZoA� (Leandra Amaral) produtora de uma rA?dio e que formarA? com Deco e Guto o triA?ngulo amoroso da histA?ria.

Mato Sem Cachorro

Mas nem tudo serA? romantismo entre Deco e ZoA�, principalmente com Leleo por perto, apA?s o fim do relacionamento Deco volta para a prisA?o de seu apartamento e ZoA� segue em frente com a a�?guardaa�? de Guto pois segundo ela o ex-namorado nA?o tem responsabilidade o bastante para cuidar do cA?o. Guto tem uma rara doenA�a que o faz desmaiar cada vez que passa por algum tipo de emoA�A?o mais forte, fato que inviabiliza ainda mais a convivA?ncia de Deco e Guto.

Inconformado com a situaA�A?o o pacato Deco, encorajado pelo primo Leleo vai tentar mostrar a ZoA� que A� sim capaz de cuidar do cA?o e pra isso elabora um plano nem tA?o inteligente ou bem pensado, mas que resultarA? em boas risadas e seqA?A?ncias.

Mato Sem Cachorro

Entre um acerto e outro, entre uma piada bem encaixada e outra totalmente descabida, entre boas presenA�as ou apariA�A�es forA�adas, de mal gosto atA�, a�?Mato Sem Cachorroa�? sobrevive, com uma A?tima trilha sonora de hits dos mais diversos tempos e gA?neros e outras influA?ncias e referA?ncias bem sacadas, aponta para um novo caminho, que se estA? longe de alguma revoluA�A?o ou mesmo inovaA�A?o sai da mesmice e dA? volume a lacuna que o cinema nacional nA?o consegue preencher, por ora ser sA�rio e denso demais e noutra vazio e sem graA�a.

 

Mato Sem Cachorro




})(jQuery);