http://www.cinemista.com.br/wp-content/uploads/2013/09/Evil-Dead-trailer-10_612x380.jpg

A Morte do DemA?nio – Cinecult

A Morte do DemA?nio

A refilmagem de “A Morte do DemA?nio” a�?vende-sea�? como um dos filmes mais assustadores dos A?ltimos tempos. PretensA�es ou marketing a parte o longa dirigido pelo estreante Fede AlvarezA�nA?o cumpre com o que promete, ainda que tecnicamente impecA?vel permanece num limbo nA?o sendo nem um remake (jA? que corta caracterA�stica bem especA�ficas do original) e tA?o pouco alcanA�a algo novo.

Salvo algumas adaptaA�A�es de tempo e A�poca, o roteiro A� o mesmo estruturalmente falando. Cinco jovens vA?o para uma cabana isolada no meio de uma densa floresta, sem saber que um mal maior os aguarda por lA?. Trata-se na verdade do Necromicon, o livro dos mortos, que ao ser lido por um dos desavisados do grupo liberta uma entidade maligna que se apossa de cada um deles. A histA?ria se passa praticamente toda dentro ou aos arredores da cabana, porA�m, o ritmo frenA�tico com que o longa A� dirigido nA?o deixa a tensA?o cair em nenhum momento. O elenco mesmo nA?o tendo nenhum nome de destaque estA? ok, em nada afeta a produA�A?o, pelo contrA?rio, em entrevista o diretor descreve o profissionalismo de alguns atores que se dedicaram a horas de filmagem para concluir cenas de segundos de duraA�A?o.

A Morte do DemA?nio

Contudo, se o original “Uma Noite Alucinante – A Morte do DemA?mio” de 1981, devido a sua originalidade no uso de cA?meras em movimento, maquiagem e efeitos exagerados de trash movies e um humor que beira o bizarro trouxe novas referA?ncias para o gA?nero. O mesmo nA?o pode ser dito do longa de Fede Alvarez, pois o que temos dessa vez A� uma produA�A?o com cenas chocantes e muito bem feitas, vA?mitos, mutilaA�A�es “voluntA?rias” ou nA?o, e A?tima maquiagem e efeitos especiais. Contudo, ainda fica a sensaA�A?o de estar faltando algo. NA?o que o humor macabro do original seja imprescindA�vel para dar qualidade ao longa, mas muito do que foi feito; violA?ncia, sangue, gosmas, gritos e sustos parecem descabido de propA?sito maior. Sobretudo, para um longa que se propA?s a ser “o mais assustador” mas nos mostra apenas sequA?ncias que abusam da violA?ncia e do nojo, fatores que podem sim impressionar mas estA?o longe de serem assustadores ou interessantes, parecem apenas o exagero de quem nA?o sabe muito bem o que estA? fazendo.

A Morte do DemA?nio

Guardadas as devidas proporA�A�es (repito: Guardadas as devidas proporA�A�es), Sam Raimi estA? para o gA?nero terror como Tarantino estA? para os filmes “B”. Explicando; Os dois usam uma matA�ria prima rA?stica, simples e dessa constroem bons filmes, que atA� certo ponto podem ser referA?ncia para um dado momento do cinema, Fede nA?o alcanA�a status parecido. Exemplificando: Lembro o longa “Arraste-me Para o Inferno” de 2009, ali o diretor Sam Raimi nA?o apenas repetiu sua prA?pria formula como tambA�m a apurou tecnicamente, mas nem sA? de tecnologia vivem os grandes filmes ou trabalhos, com o perdA?o do trocadilho; num filme de demA?nios, almas e entidades, faltou espA�rito ou o frescor daquilo que mesmo sendo um remake se esperava algo novo.

A Morte do DemA?nio




})(jQuery);